******
Folha de Óbidos no TwitterFolha de Óbidos no Youtube
sem-pelo

Anuncio

orixi

Livros

cornelio-livrocanto-livro

Enquete

Aristides Dias

Aristides Dias

E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Qui, 22 de Fevereiro de 2018 12:30

O centenário de morte de Inglez de Souza

                                         Município pretende aumentar homenagens ao seu filho ilustre

No ano de 2018 comemora-se o centenário de morte de um dos maiores escritores do Brasil, um dos precursores do Naturalismo e uminglêz dos fundadores da Academia Brasileira de Letras (ABL), onde fundou a cadeira nº 18, o obidense Herculano Marcos Inglez de Souza, advogado, professor, jornalista, contista e romancista, nasceu em Óbidos, PA, em 28 de dezembro de 1853, e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 6 de setembro de 1918.


A maior homenagem ao filho ilustre em sua cidade é o nome em uma escola municipal. Com o centenário de morte, já se pensa em fazer algo mais para homenagear Inglez de Souza.

O vereador Rosinaldo Cardoso esteve em uma rádio da cidade falando do assunto e propôs mudar o nome da rua Justo Chermont para Inglêz de Souza, como forma de maior reconhecimento ao escritor. O secretário de Cultura, Eduardo Dias, já se manifestou em grupos sociais que é a favor que se mude a o nome da rua Rui Barbosa e coloque o nome do escritor obidense. Segundo ele, Justo Chemont tem ligação com Óbidos.

Nosso site conversou com o edil sobre o interesse da secretaria em modificar o nome de outra rua e ele não se opôs e ficou de conversar com o secretário para chegarem ao senso comum.

Muito se discute sobre a grafia correta do nome do escritor onde uns escrevem com “S” e outros com “Z”. Em recente artigo publicado em O Liberal, cujo título Cátedra “Inglez de Souza” onde fala especificamente do escritor obidense, o advogado, professor e presidente do Instituto Silvio Meira, André Malcher Meira, afirmar que a grafia correta do naturalista é: Inglez de Souza. Sua argumentação é baseada em documento. “Tenho a assinatura dele de próprio punho no manuscrito chamado “Potyguar”, que pode ser encontrado na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro”, argumentou o articulista.

A mudança do logradouro público deverá ser através de Projeto de Lei e deverá ser aprovado na Câmara dos Vereadores e depois sancionado pelo executivo municipal.
Fotos: arquivo.
                                         ingles-souza
                                                                     Escola em Óbidos que leva o nome do escritor obidense.

 

Joomla Templates and Joomla Extensions by JoomlaVision.Com
A nova Gata do Site chama-se Alexia Marcely Miléo Rodrigues, tem 18 aninhos, obidense e é filha de Verônica Cristina Miléo e Marcelo Nogueira Rodrigues, estuda gastronomia e sua cor favorita é o vermelho. Ela é um pouco tímida, mas quando passa a conhecer a pessoa se solta um pouco mais e mostra que é uma jovem meiga, educada e muito sincera.
Nas horas vagas do seu dia a dia ela costumar ler e, calaro, dormir um pouco. Quando perguntada o que mais gosta nela, ela respondeu, tudo, sinal de que é de bem consigo mesma. Como estudante de gastronomia, Alexia gosta de tudo um pouco quando se trata de comida, mas com um pouco de conversa ela acabou confessando que aprecia muito um pato no tucupi e uma lasanha.
Quando se trata de fragância ela elege os perfumes Linda e Elysée, como os favoritos. O lugar onde gosta de estar é ao lado da família, do namorado e amigos. O sonho de Alexia e ter sucesso em tudo que almeja e consequentemente ser feliz. A mentira é um motivo que a deixa decepcionada com as pessoas.
Alexia fez um ensaio não muito comum, com pouco tempo  para as fotos, mas, mesmo assim topou o desafio. As imagens exploram além da beleza singular de Alexia, um dos ponto turísticos da cidade, a Casa de Cultura e a praça de Cultura também como fundo, onde acontece o badalado Carnapauxis.

l-10l-24
l-4l-15l-26
l-12l-11
l-27l-8l-14

l-22l-2
Joomla Templates and Joomla Extensions by JoomlaVision.Com
O capitão Marcel De Jesus Wanzeler, comandante da Polícia Militar, em Óbidos, está preso no quartel do Comando de Missões Especiais, em Santarém, acusado de tráfico de drogas e de uso de uma viatura da corrupção.
O militar deve permanecer em Santarém até que o juiz de Óbidos decida sobre sua prisão. Se for mantida, Wanzeler será transferido para o presídio Anastácio das Neves.(Nota do Repórter 70 de O Liberal de 20/02/2018).
capitao-eanzeler
Joomla Templates and Joomla Extensions by JoomlaVision.Com
Óbidos, no oeste do Pará, fundada há 321 anos, abriga casarões e edificações do século XVII, como o Forte Pauxis, tombado como patrimônio histórico federal. O Ministério Público do Pará atua no município, na tentativa de preservar o que restou do casario. Dentre as ações ajuizadas, uma busca a retomada das obras de restauração do Forte, iniciada há sete anos e paralisada. Outras ações, recomendações e procedimentos estão em andamento. Além do Forte, o Casarão, Serra da Escama, Colégio São José, são exemplos de locais que mereceram a intervenção do MPPA na "mais portuguesa das cidades do Estado do Pará", ou “cidade-presépio”.

Das construções destacam-se edificações e casas residenciais e comerciais de arquitetura colonial portuguesa no centro da cidade. Os bens tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) são o Forte Pauxis e os vestígios do Forte Serra da Escama e o quartel General Gurjão. Entre 2011 e 2017 a promotoria instaurou procedimentos administrativos para levantar informações sobre as providências adotadas pelo município para preservar o patrimônio histórico cultural, que resultaram em recomendações e Ações Civis Públicas. 



Os imóveis do entorno das construções tombadas também estão sujeitos às normas relacionadas ao patrimônio histórico, o que motivou procedimento instaurado em 2017 para apurar a construção de um prédio com três pavimentos próximo ao quartel de Óbidos, sem a apresentação de parecer técnico do Iphan. O MPPA recomendou que a prefeitura, Secretaria Estadual de Cultura e o Iphan exijam dos proprietários a autorização e os projetos de arquitetura e que fiscalizem o cumprimento dessa exigência quando houver obras e atividades nos imóveis do entorno aos tombados. Recomenda ainda a vistoria das obras já realizadas sem a aprovação dos projetos, com adoção de medidas quando comprovada a interferência estética ou física na área.

A preservação do “Casarão da Bacuri”, no centro da cidade, incluía a sua desapropriação, uma vez que era de propriedade particular. Em 2014 a promotoria de justiça de Óbidos iniciou as tentativas de manter o que restou do prédio, com recomendações e reuniões para garantir o restauro, pois apresentava riscos aos transeuntes. A prefeitura informou que não dispunha de recursos financeiros e o que restou do Casarão, que chegou a ser sede do Consulado Francês, acabou demolido no dia 11 de setembro de 2016.





Em outubro de 2017, o MPPA ajuizou Ação Civil Pública contra o Estado, município e o proprietário do Casarão. A ação, em andamento, requer que os réus sejam responsabilizados pela destruição do imóvel e condenados a pagar indenização monetária por danos materiais e morais coletivos. E ainda obrigados a pedir desculpas públicas e mandar fixar de modo permanente e visível, no novo prédio a ser construído, o resumo da sentença e acórdãos do processo, “para que os cidadãos tenham conhecimento, dado o direito à informação, que foram reparados os danos decorrentes da demolição de um importante patrimônio histórico”, justifica o MP.

O professor Rômulo Viana, morador da cidade, chama atenção para o fato de Óbidos ter uma lei especifica para tombamento dos casarios: A Lei nº 3.753/2009 atribui ao gestor municipal, ouvido o Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural e Artístico de Óbidos, decidir sobre os atos de tombamento. “Logo, cai por terra a fala de que a prefeitura não pode tombar seus bens públicos ou bens privados (conforme estabelecido na lei)”, ressalta. 

O Forte de Santo Antônio dos Pauxis de Óbidos é tombado pelo Iphan como patrimônio histórico federal. Edificado em 1698 e reconstruído em 1854, é um marco na história da defesa da Amazônia, com 13 canhões. Em 2011 foi iniciada a reforma, fruto do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) Cidades Históricas. Após quase sete anos, não foi concluída, sendo sua retomada, objeto de ação do MPPA, ajuizada em novembro de 2017. A obra, em convênio entre o Governo Federal e a prefeitura, tem projeto aprovado pelo Iphan, que alega não ter recebido a contrapartida da prefeitura.



A ação requer a expedição de ordem judicial para o imediato retorno das obras, até a sua conclusão e entrega, e a obrigação dos réus em comprovar as notas de despesas desde o ano de 2011. E caso haja necessidade de suplementação de verba, que os valores sejam descontados, primeiramente, das contas da publicidade institucional.

Outro bem tombado pelo Iphan são os vestígios do Forte Serra da Escama- Fortaleza Gurjão. Foi construído fora dos limites urbanos no século XIX, e guarda acervo de quatro canhões. Ainda em 2011, o MPPA recomendou ao Secretário de Estado de Cultura, relatório com diagnóstico sobre as condições da Fortaleza e que apresentasse projeto para a revitalização do patrimônio histórico degradado, ações voltadas para a educação, catalogação e estudos arqueológicos sobre o local.

A conservação do centenário Colégio São José também foi alvo de ACP em 2015, quando uma parte do teto da sala desabou e parte do prédio foi interditado. A justiça atendeu aos pedidos e determinou a regularização do funcionamento integral da escola, que no ano de 2017, após 45 anos sob a administração do Estado, retornou às Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus.

Para o professor Rômulo Viana, “a população de Óbidos, ainda não se conscientizou a cerca da importância da preservação dos casarios da cidade. O que se ouve da maioria é que esses prédios históricos não passam de casas velhas que deveriam dar lugar a modernidade. A preservação e luta pela salvaguarda fica na conscientização de pouquíssimas pessoas”, lamenta.
Mas cita esforços para foram feitos para fomentar a educação ambiental, como a criação de uma disciplina escolar adotada na grade curricular dos alunos da rede municipal denominada “história de Óbidos”, e a criação do Museu Contextual que consistia em quadros com fotos de prédios históricos postos nas frentes das casas no centro histórico de Óbidos. “Mas ainda sim, é pouco notável a preocupação dos obidenses com seus casarios”, diz o professor.



O MPPA justifica na ação referente ao Forte, que as medidas de proteção ao patrimônio histórico-cultural possibilitam a compreensão do presente e “a evolução da humanidade em sua busca de conhecimento, liberdade e qualidade de vida, de forma harmônica e respeitosa com a natureza, a história e a memória de nossos antepassados. Estes iniciaram e impulsionaram a vida social urbana deste município e, com esta, o contínuo processo de desenvolvimento que nos cerca e cujos primórdios devem ser conhecidos pela atual geração e pelas gerações vindouras”.

Texto: Lila Bemerguy
Fotos: Lila Bemerguy, Site ChupaOsso, Portal Obidense.
Joomla Templates and Joomla Extensions by JoomlaVision.Com
Será realizado nos dias 22 e 23 de fevereiro no auditório do IFPA, Campus Óbidos, o 1º Fórum de Desenvolvimento Municipal, organizado pela prefeitura através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes).
Deverão se reunir no encontro, representantes de diversos segmentos da sociedade local, onde deverão traçar metas de desenvolvimento para as mais diversas áreas como: economia, comércio, política, meio ambiente, cultura, infraestrutura, saúde, educação,  assistência social entre outros setores importantes para o município.
forum-semdes
Joomla Templates and Joomla Extensions by JoomlaVision.Com
chico-camara

Chico Alfaia participou da sessão solene e proferiu a tradicional mensagem do chefe do Executivo aos vereadores.

A reabertura dos trabalhos legislativos da Câmara de Vereadores de Óbidos (CMO), no oeste do Pará, foi marcada por uma sessão solene realizada na manhã desta segunda-feira (19). Participaram da primeira sessão ordinária de 2018 os treze vereadores que compõe a 18ª legislatura do Poder Executivo obidense, além do prefeito municipal, Chico Alfaia.

Durante a tradicional mensagem à Casa Legislativa, o prefeito municipal desejou sucesso nos trabalhos e fez uma avaliação do seu primeiro ano de gestão, destacando o enfrentamento da crise financeira no início de 2017, e os problemas de infraestrutura ocasionados pelas enxurradas que levaram a administração municipal a decretar situação de emergência em abril de 2017.

Na área das finanças e do processo de reequilíbrio dos gastos com a máquina pública, Alfaia destacou as renegociações de dívidas milionárias com a previdência e com outras instuições que possibilitaram a regularização do município junto ao Cadastro Único de Convênios (CAUC), permitindo firmar convênios com instituições estaduais e federais.

O prefeito frisou ainda a regularização dos salários até o mês de julho de 2017, e reconheceu que houve um equívoco na estratégia da equipe de finanças, cumulado com a redução dos recursos enviados pela União que ocasionaram os atrasos no pagamento dos servidores. Situação que começou a ser contornada em novembro com a regularização de 95% da folha, e integralmente no mês de janeiro.

A efetividade do Distrito do Flexal; a reforma da UBS com médico permanente na localidade e a inauguração do prédio do Serviço de Fortalecimento de Vínculos Nova Geração. Além da realização do processo seletivo para a contratação de professores, e do projeto SUAS-SEMDES que levou inúmeros serviços e atendimentos para várias comunidades do interior, também foram lembrados durante a fala do prefeito.  

“Sabemos das dificuldades que houveram em nosso primeiro ano de gestão, mas, sabemos também que importantes avanços foram conquistados. Nosso pedido é que o Legislativo e Executivo caminhem de mãos dadas por Óbidos Não estou pedindo que não haja oposição, mas que, a principal bandeira a ser defendida seja a de Óbidos, e que isso sobreponha qualquer outro interesse. A oposição deve existir, sobre pena de tornar o prefeito um déspota. Aquilo que estiver dentro dos parâmetros que seja aprovado, e o que não estiver na avaliação desta casa, que seja discutido”, finalizou o prefeito Chico Alfaia.

Perspectivas para 2018

Além de fazer uma breve avaliação do primeiro ano de gestão, Alfaia anunciou ainda a programação de inauguração de Unidades Básicas de Saúde nas comunidades Igarapé-Açú e Curumú, ainda no primeiro semestre. Além da inauguração de uma nova escola no interior.

O prefeito citou ainda a expectativa do governo municipal quanto a liberação de recursos do governo do estado e do Ministério da Integração Nacional para a pavimentação de várias vias urbanas, e o início da construção da Unidade Básica de Saúde Fluvial, que deve ocorrer em breve em uma empresa especializada em engenharia naval.

 

Por: Érique Figueirêdo – ASCOM/PMO

Fotos: Mauro Pantoja – ASCOM/PMO

Joomla Templates and Joomla Extensions by JoomlaVision.Com
Seg, 19 de Fevereiro de 2018 17:47

Residência pega fogo em Óbidos

fogo-chico

Um incêndio em uma residência no bairro da Prainha, em Óbidos, movimentou os moradores da rua Acioli Lins, em frente a escola São Francisco. A casa é do senhor conhecido como Chico da Cosanpa. Segundo informações colhidas pelo site, na hora do incêndio estavam na casa a esposa do seu Chico mais a filha e dois netos. Em conversa com um membro da família, fomos informados que a família está em choque e ainda não conseguem dar mais detalhes do sinistro. O fogo começou no quarto do casal e se alastrou por outros lugares da casa. A parte onde ficava três quartos uma sala e cozinha, tiveram perda total.
Com o incidente os alunos da escola foram liberados mais cedo. O fogo foi debelado com a colaboração dos vizinhos que usaram mangueiras e baldes de água para apagar as chamas, já que não existe carros de corpo de Bombeiros na cidade.
Foto e vídeo: Cláudio Florenzano.
Joomla Templates and Joomla Extensions by JoomlaVision.Com
Seg, 19 de Fevereiro de 2018 09:13

Klinger está com exposição na galeria Hafemann

O artista plástico obidense Klinger Carvalho está com uma exposição juntamente com outra artista plástica brasileira na galeria Hafemann, em Wiesbaden, desde o dia 16 de fevereiro "Essa é uma das galerias com qual mais tempo trabalho. Dessa vez  divido as salas da galeria, com Cristina Barroso , amiga e colega brasileira, que vive em Stuttgart", comentou Klinger. A exposição vai até 16 de março.
Foto divulgação
Einladung-Francisco--Cristina-16


Joomla Templates and Joomla Extensions by JoomlaVision.Com
Em nota à imprensa a Comandante de Policiamento Regional 1 de Santarém, Coronel PM Tomaso, informou a prisão docomandantepm capitão Marcel de Jesus Duarte Wanzeler, comandante da 29ª Companhia Independente de Óbidos, por suposto tráfico de drogas e descaracterização de um veículo da Polícia Militar. Veja a nota abaixo:
NOTA À IMPRENSA

Está preso na sede da 2ª Companhia de Missões Especiais da Polícia Militar, em Santarém, o capitão Marcel de Jesus Duarte Wanzeler, que a pouco menos de um ano comandava a 29ª Companhia Independente, localizada na cidade de Óbidos (CIPM).
O oficial foi preso na manhã de ontem, 16, por suposto tráfico de drogas e por descaracterização de um veículo da Polícia Militar para uso particular. O capitão está há 11 anos e 9 meses na Corporação e havia sido transferido do município de Marituba.
Após informações registradas pelo serviço Disque- Denúncia 181, da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), o Comando de Policiamento Regional 1 abriu de imediato, por meio da Corregedoria, procedimento investigatório para apurar a veracidade das informações contra o capitão. A denúncia foi registrada no último dia 14 e repassada ao CPR 1 na mesma data.
Após investigações e diligências realizadas na cidade de Óbidos, a equipe da Corregedoria constatou, em situação flagrante, o uso do veículo pela esposa do oficial e sem os adesivos padrões, assim como giroflex e todo os recursos de identificação visual do modelo Parati.
Na sequência das investigações, a Corregedoria flagrou nova situação de irregularidade em desfavor do capitão Marcel Wanzeler. Foi encontrado seis tabletes de maconha no gabinete do então comandante da 29ª CIPM. Os 5,34 quilos do entorpecente já foram periciados pelo Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves”. A droga chegou em Santarém na madrugada de hoje.
A Corregedoria ouviu o capitão na manhã de hoje. Em seguida o militar foi submetido ao cadastro no sistema da Superintendência do Sistema Penitenciário e seguiu para o quartel do CME. O militar será enquadrado nos crimes baseados no artigo 324 do Código Penal Militar, que trata do prejuízo à administração militar e nos artigos 33 e 34 da lei 11.343, de 2006 – Lei de Entorpecentes.
A prisão do oficial e as investigações instauradas são exemplos da transparência, legalidade e impessoalidade no atos da Polícia Militar para a manutenção da hierarquia e da disciplina de nossa tropa. A PM, sob hipótese alguma, tolera o desvio de conduta, independente da graduação, posto ou qualquer função desenvolvida, e cortará na própria “carne” quando preciso for.
Coronel PM Tomaso  - Comandante de Policiamento Regional 1 - Santarém
Joomla Templates and Joomla Extensions by JoomlaVision.Com
Sáb, 17 de Fevereiro de 2018 17:18

Os números do Carnapauxis

carna-panoramica

Terminada a folia, o que fica nas rodadas de mesas e esquinas são os comentários sobre o acontecimento, no caso dos obidenses o Carnapauxis. Sempre se fala em quantidade de gente se superou ou não o ano anterior, violência, som, trios etc.
Nosso site procurou alguns órgãos que forneceram números sobre o Carnapauxis, revelando um pouco do que foi e é essa grande festa do povo Pauxiara. Segundo a polícia civil, foram um total de 22 pessoas apresentadas na delegacia. No período do carnaval oficial de Óbidos foram um homicídio, duas tentativas de homicídio, três flagrantes Maria da Penha, embriaguês ao volante e tráfico de entorpecente, o restante das ocorrências foram de lesões corporais leves,desacato etc. que as pessoas não ficam presas, são ouvidas e posteriormente liberadas. Dessas algumas foram presas e outras liberadas após pagamento de fiança.
"No Estado do Pará todo, foram 73 mortes. Foi um carnaval com toda certeza um dos mais violentos", comentou o delegado Thiago. Com relação a Óbidos, informou o delegado que as ocorrências nos anos anteriores ficavam em torno de 2 a 3, na área que abrange toda cidade, incluindo zona rural e este ano subiu para 22, um aumento considerável.
As ocorrências com mais frequências são da turma que fica de "trenzinho", circulando pelo "Fobódromo". Segundo o delegado os pontos críticos do "Fobódromo" são exatamente em frente ao palco e próximo aos banheiros, que ficam atrás dos camarotes. Saindo dessa área inclui a esquina onde tem o semáforo. "As pessoas que morreram, eram pessoas que estavam rodeadas de pessoas de má índoles, que já vão pra fazer confusão e os que vão para brincar, geralmente ficam separadas, não ficam no meio", comentou o delegado.
Ele informou também que a última tentativa de homicídio foi em frente ao palco. A polícia conta com a ajuda de câmeras que esse ano gerou imagens em HD e com as imagens que elas reproduzem fica mais fácil identificar os meliantes.
Segundo o delegado, vai ter que ser repensado o sistema preventivo de segurança porque o aumento de rgistrou foi um absurdo coom relação aos anos anteriores e terá que ser repensado todo o trabalho feito.
Segundo a PM, na região oeste, nos seis dias de operação, foram realizadas 3.538 abordagens a veículos (carros particulares, caminhões, motocicletas, mototáxis, táxis e ônibus) e a 7.148 pedestres, conduzindo para a delegacia 221 adultos, presos em flagrante. Também foram apreendidas duas armas de fogo, 35 armas brancas, 100 gramas de substância ainda não identificada no município de Santarém, e quatro papelotes de drogas em Óbidos.

Também procuramos a Companhia Docas do Pará que informou que durante o período de 5 a 13 de janeiro embarcou no porto da cidade 1.982 pessoas e desembarcaram 4.188 pessoas. Não foi possível fazer o registro das pessoas que chegaram em embarcações oriundas de outras cidades que não aportaram no porto da CDP, assim como também não foi possível registrar o número de pessoas que chegaram de carro e outros veículos na cidade durante o período do carnaval.
Foto: Taré


Joomla Templates and Joomla Extensions by JoomlaVision.Com
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>
Página 1 de 327

Últimos Comentários

top